Candidatura a Património Mundial

​​​​​​Vila Ducal.jpg 

APRESENTAÇÃO

A decisão de candidatar Vila Viçosa a Património Mundial da UNESCO, sob a designação de “VILA VIÇOSA – VILA DUCAL RENASCENTISTA”, assenta nas características da sua expansão urbanística do século XVI, de acordo com os ideias renascentistas disseminados na época. Contudo, a sua singularidade é atingida pela integração na construção (edifícios e espaço público) do mármore, material abundante na região. Assim, o traçado das suas ruas e praças, os materiais utilizados no edificado, a diversidade de ​construções monumentais, muitas delas associadas à Casa de Bragança, e a relação da vila com a Tapada Real, acabam por ser a justificação da candidatura.

Para além de tudo isso, Vila Viçosa está erigida sobre importantes aquíferos, o que lhe permitiu a abundância da água quer para consumo humano quer para a sua utilização na agricultura.

LOGOMARCA

O desenvolvimento do logótipo “VILA VIÇOSA – VILA DUCAL RENASCENTISTA” apoiou-se em dois elementos: a fachada do Paço Ducal de Vila Viçosa, ex~libris da vila e exemplar maior da arquitectura renascentista em mármore;e a água.

A fachada do Paço Ducal foi graficamente simplificada, de forma a tornar o desenho “limpo” e de leitura imediata; quanto à “água”, esta é representada pela cor azul sobre a qual é erigida a construção.

Estes dois elementos são contidos num círculo, de traço largo, conferindo ao conjunto um aspecto de “selo” e dinâmico.

O lettering usado é uma combinação entre uma fonte não-serifada, com peso e características contemporâneas, aplicada às palavras “VILA VIÇOSA”, e uma fonte serifada, com um desenho mais clássico, utilizada nas palavras “VILA DUCAL RENASCENTISTA”.

A logomarca “VILA VIÇOSA – VILA DUCAL RENASCENTISTA” é facilmente aplicada a qualquer documento institucional, bem como em materiais promocionais e de merchandising.​


INTRODUÇÃO​

Não é possível pensar de uma forma equilibrada e sustentada o futuro de Vila Viçosa sem considerar o seu património, que é um dos seus maiores tesouros, dado que o grande valor desta vila encontra-se, inequivocamente, na sua história, arte, arquitectura e conjunto urbano, só para citar alguns exemplos mais significativos, sem esquecer, naturalmente, os seus valores humanos, que constituem a sua mais-valia e o vector fundamental da sua dinâmica.

 

Num momento em que Vila Viçosa se abalança para empreender novos desafios, entre os projectos relevantes para o desenvolvimento desta vila alentejana há um que actualmente consideramos de importância estratégica para o seu futuro: o processo de preparação da candidatura de Vila Viçosa a Património Mundial da UNESCO.

 

URBANISMO E PAISAGISMO, seriam as principais alavancas da candidatura patrimonial de Vila Viçosa.

 

Estamos convictos que não basta possuir um bom currículo patrimonial, mas que é absolutamente necessário mostrar as suas dinâmicas de desenvolvimento local, fundamentar cientificamente as características da sua originalidade e excepcionalidade, assim como manter a sua autenticidade e vivacidade. Tarefa hercúlea e complexa, que exige de todos um trabalho árduo e persistente que reúna a sociedade civil calipolense, os agentes económicos e culturais, e sobretudo a cooperação científica especializada. Na verdade, é necessário reforçar a articulação transversal, isto é, com várias entidades e instituições, com especial destaque para instituições e outros serviços públicos ligados a esta problemática, visto tratar-se de um processo que extravasa o âmbito exclusivo das responsabilidades autárquicas, entrando no terreno das responsabilidades colectivas locais, regionais e, até mesmo, nacionais.​

Composição das Comissões.jpg

Reunião das Comissões.JPG

O imponente Salão Rosa do Alentejo Marmoris Hotel & Spa de Vila Viçosa, foi o cenário escolhido para albergar a reunião das Comissões Científica e Executiva e dos Parceiros Institucionais da Candidatura de Vila Viçosa a  Património Mundial da UNESCO, que teve lugar no dia 16 de Setembro de 2017.

A reunião encontrava-se estruturada em torno dos seguintes temas aglutinadores: Intervenção de Abertura do Senhor Presidente da Câmara Municipal de Vila Viçosa; Apresentação do Plano de Acção e Programação da Fundamentação Científica dos Critérios de Valor Universal Excepcional de Vila Viçosa; Informações; Debate; e Encerramento e Apresentação das Conclusões. Estas foram as principais problemáticas em discussão, que reuniram uma longa lista de representantes dos parceiros institucionais e dos mais prestigiados especialistas, académicos, investigadores, com vasta obra publicada sobre o património cultural de Vila Viçosa.  

Isso mesmo fez questão de acentuar Manuel Condenado, Presidente da autarquia calipolense, na sua alocução ao enfatizar a total confiança e as fundadas expectativas no contributo dos diversos especialistas que constituem as Comissões Científica e Executiva. Noutro momento da sua intervenção, expôs uma reflexão sobre as principais fases de  preparação do ambicioso e  perseverante  proceso de candidatura de Vila Viçosa, as principais acções de estudo e divulgação do património cultural (desde Junho de 2016 até ao momento), e a relevância da cooperação institucional e científica. 

Por seu lado, Licínio Lampreia, salientou vários aspectos do Plano de Acção da Preparação do dossier final da candidatura patrimonial, destacando a  visão geral deste processo, a justificação dos critérios preenchidos, a síntese dos valores patrimoniais e os conteúdos científicos do dossier de candidatura. 
Em seguida, Ana Rocha, Vereadora da Cultura da edilidade local, apresentou um conjunto  de  informações relacionadas com  a estreita colaboração entre a Câmara Municipal de Vila Viçosa e as instituições e os especialistas que integram a Comissão Científica e Executiva, assim como as recentes reuniões com o Prof. André Carneiro e com a Prof.ª Graça Filipe. Lembrou ainda que a Câmara Municipal disponibilizará  todo o apoio documental e o conjunto de  fotografias  aéreas  do levantamento patrimonial sobre Vila Viçosa, bem como outros recursos considerados necessários para a  realização dos estudos.

Convém ter em atenção que a estrutura da composição dos parceiros institucionais da candidatura inclui um importante espaço de representação da comunidade local, designadamente, através de representantes da Assembleia Municipal de Vila Viçosa, das Juntas de Freguesia do munícipio, do Aprupamento de Escolas de Vila Viçosa e das Fábricas Paroquiais, que marcaram uma presença expressiva nesta reunião. 

Ao longo da tarde, especialistas, investigadores, académicos e representantes dos parceiros institucionais debateram aspectos  metodológicos, científicos e técnicos relacionados com a preparação do documento final da candidatura, que constituiram o propósito central desta iniciativa. Com esta finalidade, alguns especialistas presentes na reunião reiteraram a importância de perspectivar a candidatura num contexto interdisciplinar.

Resulta incontornável sublinhar que foi sugerido que a candidatura não deve ficar refém dos critérios (II e IV), mas que deve incluir aspectos tangíveis, materialmente associados com acontecimentos ou tradições vivas, ideias, crenças ou obras artísticas e literárias que tenham um significado universal excepcional, a fundamenar de forma concomitante com os critérios antes referidos.  

Por seu lado, as problemáticas de raíz práticas e técnicas, como a redobrada a atenção para novos e recentes estudos e teses académicas, a dimensão dos textos que devem apontar para um documento síntese, não necessariamente muito extenso, mas essencialmente técnico que obedeça às orientações preconizadas pela UNESCO, e, sobretudo, a qualidade da tradução dos textos para o inglês, mormente no que concerne aos aspectos mais técnicos, o que requer o contributo de especialistas, constituiram, igualmente, um corpo de ideias  que foram largamente analisadas.

Acresce que este profícuo debate permitiu reforçar a importância do estudo de uma evidenciada mais-valia patrimonial calipolense, como é o caso do seu substrato geológico, numa relação dialéctica e indissociável com outras valências e vivências do património local, cuja relevância foi considerada diferenciadora por muitos dos especialistas presentes.  

Vários personalidades também reiteraram que é importante contar com a participação e o apoio da comunidade local em geral, pelo que os presentes assinalaram de forma generalizada a importância da sua participação neste processo de candidatura.  

Em síntese, esta reunião constituiu um contributo muito enriquecedor e um incentivo encorajador para esta etapa derradeira do processo  que pretende inscrever Vila Viçosa na lista dos bens classificados como Património Mundial da UNESCO, razões pelas quais reputamos esta iniciativa de grande importância estratégica.​

 Album Fotográfico da Reunião